sábado, 19 de dezembro de 2015

Como descobrir seu talento

Quando você descobre seu talento, você encontra o que gostaria de fazer pelo resto da vida. A descoberta do talento é um grande dilema, principalmente para os jovens que precisam escolher uma profissão e por não encontrá-lo, alguns chegam a adiar sua entrada na faculdade.


Acredito que a escolha de adiar a conclusão de um curso superior até que se tenha certeza do que se quer é um privilégio de pessoas que não dependem de ninguém para se manter, tendo, portanto, liberdade para fazer esta escolha. Mas um adolescente que mora com seus pais, não pode esperar que aceitem que ele deixe de estudar até que decida o que realmente quer. O mundo não vai parar até que este adolescente tome esta decisão. O melhor é escolher algo que mais se aproxime do que gosta e faça o curso superior. Após terminar o curso é possível encontrar um trabalho na área. Se depois de algum tempo, descobrir que não era exatamente o que gostaria de fazer, pelo menos terá uma estrutura financeira para que, com seus próprios recursos, faça outro curso superior, ou abra um negócio e mude de profissão.

Existem pessoas que desde muito jovens já sabem o que querem da vida. Conheci uma menina quando ela tinha 14 anos de idade e já dizia que seria uma juíza. Por ser de família humilde, enfrentou muitas dificuldades até se formar advogada, iniciar sua carreira e chegar ao posto de juíza. Demorou anos e anos, mas chegou lá. Hoje ela diz que em nenhum momento pensou em desistir, pois tinha a certeza de que era sua vocação e em outra área, pensava que não seria feliz.

O interessante é que ela já sabia o que queria desde muito jovem e quando isso acontece, as energias e os recursos são direcionados em um único foco. Mas quando se descobre mais tarde o que se quer, muita energia e recursos já foram investidos em projetos abandonados, e ao se iniciar algo novo, exigem-se mais esforços e o máximo de aproveitamento do tempo para se atingir algo que poderia ser alcançado com maior facilidade e rapidez, se fosse iniciado com mais antecedência. Mas este esforço será recompensado, se a pessoa tiver certeza do que quer. Do contrário poderá ocorrer o pensamento de que não dará certo ou de que é tarde demais. Estes pensamentos abalam, obviamente, a determinação de qualquer pessoa. É claro que esta certeza não precisa ser inabalável, pois tudo muda com o passar do tempo. Até mesmo nossos sonhos podem ser realinhados.

Descobrir um talento também é um longo processo de autoconhecimento. A busca pelo autoconhecimento é uma prática que nos leva a encarar e entender mais facilmente as dificuldades, frustrações e tristezas que surgem em nossa vida, auxiliando a encontrar suas causas reais e promovendo uma definição mais clara de nossos valores.

Seu autoconhecimento lhe auxiliará a encontrar seu talento, pois desta forma será possível determinar as atividades que lhe dão mais prazer, o que aliado ao conhecimento de seus valores, trará um significado para suas atividades, o que resultará em mais engajamento e comprometimento.

A busca pelo autoconhecimento pode trazer uma melhor compreensão sobre o tipo de personalidade da pessoa, fazendo com que possa compreender suas escolhas e interesses.  Mas lembre-se que até mesmo uma personalidade pode ser mudada caso a pessoa não a aceite.

Os tipos de personalidade podem ser agrupados em quatro classificações. A primeira classificação se relaciona a forma como interagimos com o mundo. Neste caso as pessoas podem ser Extrovertidas ou Introvertidas. Os Extrovertidos são sociáveis, comunicativos e gostam de interagir com os outros, não tendo problemas em expor suas opiniões, concentrando suas energias no mundo real. Já os Introvertidos gostam de ficar sozinhos, não sendo sociáveis e não buscam a interação com outras pessoas, concentrando sua energia no mundo dos pensamentos.

Outra classificação relacionada aos tipos de personalidade se refere a forma como observamos e tiramos informações do mundo a nossa volta, havendo os Sensoriais e os Intuitivos. As pessoas Sensoriais são materialistas e conseguem informações por meio de fatos concretos, sendo realistas e práticas. Já as Intuitivas são imaginativas, obtendo informações através de observação e conclusão a partir de seus próprios pensamentos e crenças, sendo mais criativas e complexas.

Há também a classificação referente aos Pensadores e aos Sentimentais. Os Pensadores decidem e julgam as pessoas com base lógica, analisando os prós e contras das situações, sendo objetivos e justos e não deixam os sentimentos influir em suas decisões. Os Sentimentais fazem seus julgamentos e tomam suas decisões guiadas por seus instintos e sentimentos, decidindo com base no que sentem no momento, valorizando a harmonia, a empatia e não seguem rígidas regras.

Por fim, há a classificação relacionada aos Julgadores e aos Perceptivos, se referindo como as pessoas preferem viver, se de forma espontânea ou se preferem pensar antes de entrar em ação. Os julgadores se satisfazem depois de tomadas as decisões rápidas e não pensam antes de agir, preferindo se arrepender depois do que protelar as decisões. Já os Perceptivos ficam mais satisfeitos ao tomar decisões bem pensadas, demorando para entrar em ação, angustiando-se quando necessitam tomar rápidas decisões, pois gostam de pensar muito antes de agir, tendo medo de se arrepender depois.

Então, qual o seu tipo de personalidade? Uma forma de descobrir é escolhendo um item em cada um dos quatro tipos de classificação, ou seja, você se considera Extrovertido ou Introvertido; Sensorial ou Intuitivo; Pensador ou Sentimental; e ainda, Julgador ou Perceptivo. Em meu livro tenho mais informações sobre como descobrir seu talento. Você pode adquirir clicando neste link: Livro "À procura da felicidade".

Leia Também: 




Gostou? Então deixe o seu

 Comentário abaixo :-)

Nenhum comentário:

Postar um comentário